Serviço e Vocação para a Igreja e para o Mundo

Resultado de imagem para imagem de vocação

Queridos irmãos e irmas, estamos terminando o mês de agosto. Esse mês é dedicado as vocações. São diversos tipos de vocações que as pessoas são chamadas. Cada uma é agraciada pelos dons de Deus.

O mundo carece de pessoas que possam servir sem querer privilégios e regalias, mas servir os mais necessitados.

Jesus nos chama para ser servos que estão prontos para levar o seu evangelho a todos. Nós devemos emprestar os nossos dons, as nossas vontades para que todos possam ter vida em abundancias.

A nossa vontade deve estar sintonizada a Deus, que é o sumo bem. Tudo deve concorrer para a gloria Dele. Isso vai acontecer se cada um de nós colocarmos em missão e a caminho sem ficar olhando para traz. 

O mês de agosto refletimos varias vocações que foram a família, a vida, o sacerdócio, a vida religiosa e catequista.

A família é importante, pois nela é que se aprende a amar, a servir, a perdoar e a colocar-se em serviço dos que mais precisa. Na família se aprende a ouvir a palavra de Deus, a partilhar e viver em comunhão. Não se pode ficar na onda do modismo desse mundo que anula a família. Ela não pode jamais ser descartada.

O sacerdócio é o espelho do bom pastor que vem pra orientar, ajudar, seguir e levar o Cristo, senhor da vida a todos, principalmente os que não tem vez e voz neste mundo. A eucaristia é presença de Cristo que vem até nós nas mãos de nossos sacerdotes. Que a nossa ajuda e oração sejam forças para que eles possam desempenhar bem a sua sua missão na Igreja e no mundo.

A vida religiosa se torna luz no meio do mundo nas diversas situações onde ha a sua atuação. A sua missão é animada pela força do Espirito Santo nas diversas manifestações e carismas.
Os catequistas são operadores da palavra de Deus na Igreja e no mundo. As vozes deles são ecoadas na Igreja para que as pessoas possam afirmar a sua fé na reta intenção e conhecimento da doutrina cristã.

A Igreja se torna bela nas vocações que ajudam a missão de evangelizadores da misericórdia.Tudo por Jesus nada sem Maria.



Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha

O cristão deve ser atuante e não ter medo de evangelizar


Queridos irmãos e irmãs em Cristo, estamos celebrando o 20º Domingo do Tempo Comum, e que esta liturgia   nos ajude a sermos missionários, sem medo, no nosso trabalho pastoral. Seguir Jesus tem consequência para aqueles que são fieis a sua Palavra. Ser profeta no mundo de hoje é ser sinal de contradição, pois muitas coisas não coincidem com a vontade de Deus. Não podemos omitir nunca e não ter medo de trabalhar a favor do Reino de Deus que começa aqui e termina na eternidade com Ele para sempre. Hoje se celebra o Dia dos Pais, e que eles possam ser sinais do amor, do ensino e de aliado de Deus para os seu filhos.
A liturgia da Palavra de hoje nos vai orientar para que possamos ser missionários no mundo cheio de contradição e injustiça.
O livro de Jeremias nos mostra o profeta que foi escolhido por Deus para levar e anunciar a mensagem Dele de modo duro, mas necessário. O que ele diz ao povo não vai coincidir com a vontade do rei e dos generais do exercito. Hoje, muitas vezes devemos fazer algo bom e justo que vai contrariar os poderosos que não querem ajudar os mais pobres e necessitados. Há muita injustiça no mundo de hoje para ser denunciada. Esse é o papel do profeta. Muitas vezes, o clima de paz e calmaria, esconde o sentido real das dificuldades e problemas. Jeremias alerta, pelo perigo que se avizinha, para as autoridades da época e por causa disso foi jogado numa cisterna, mas Deus o libertou. (cf. Jr 38,4-6.8-10)
Na Carta aso Hebreus nos alerta a sermos firmes e corajosos diante de todas as provocações e problemas que nos afligem. Isso nos ajuda a superar as dificuldades com a graça e força de Deus. Essa atitude é como ser um atleta diante de uma competição, pois eles enfrentam, tanto na preparação como no dia da competição. (cf. Hb 12,1-4)
Jesus está caminho de Jerusalém e Ele vai ensinado os apóstolos como uma aula de teologia e de julgamento. O mestre nos mostra como deve ser os seus seguidores, pois a sua presença e a caminhada que fazemos com Ele nos ajudam  a purificar o nosso olhar do mundo e desse modo direcionar os nossos passos para o correto e o certo para fazer o mundo melhor.
Se houver divisões naquilo que devemos fazer não pode ser motivo de desistir ou ficar com medo de prosseguir na nossa missão de evangelizadores. Devemos ser missionário da misericórdia. A paz e a tranquilidade são frutos de ardor pela justiça, pelo amor, pelo perdão e pela misericórdia. O fogo que Jesus fala é a ousadia que devemos agir no bem que devemos fazer, pois o anuncio é de Deus por nós. Se estivermos com Deus não podemos ter medo e receio de assumir os riscos da missão, pois nem todos querem agir como Deus quer. Assim, podemos trabalhar pela causa do Reino de Deus. (cf. Lc 12,49-53)
Que esta liturgia nos ajude a termos escudo de Deus e vontade de sermos missionários no mundo onde carece de Dele e do seu amor
Tudo por Jesus nada sem Maria!


Bacharel em Teologia Jose Benedito Schumann Cunha 14-08-16
Tecnologia do Blogger.